15/05/2019 14h57 - Atualizado em 15/05/2019 14h57

Milhares saem às ruas de Dourados contra a Reforma da Previdência e contra os cortes na Educação

SIMTED Dourados e SIMTEDs de municípios da região estiveram presentes no ato

Por: SIMTED Dourados
 
 
Trabalhadores(as) e estudantes da rede básica, instituto federal e universidades públicas realizaram manifestação com apoio da população douradense e outras categorias
fotos: SIMTED Dourados Trabalhadores(as) e estudantes da rede básica, instituto federal e universidades públicas realizaram manifestação com apoio da população douradense e outras categorias
fotos: SIMTED Dourados

Em Dourados (MS), o Dia de Greve Nacional da Educação reuniu milhares de pessoas em uma grande manifestação contra a Reforma da Previdência e contra os cortes de investimentos do governo federal no ensino público.

Servidores(as) do Magistério e do Administrativo das Redes Municipal e Estadual de Ensino de Dourados participaram do ato, que teve início às 8 horas, na Praça Antônio João. Escolas municipais, estaduais e Ceims fecharam em protesto à proposta de desmonte da aposentadoria, que prejudica toda a população, e a retirada de recursos que podem inviabilizam os ensino público básico e superior no país.

A mobilização foi regional e contou com a participação de Simted's de município vizinhos como Itaporã e Caarapó. Estudantes, professores(as) e servidores(as) administrativos(as) do ensino básico, do instituto federal e das universidades estadual e federal, além de sindicatos, entidades e trabalhadores(as) de outras categorias também estiveram presentes na manifestação em Dourados.

A concentração foi na Praça Antônio João e os(as) participantes(as) saíram em caminhada pelo centro da cidade com faixas, cartazes, panfletando e dialogando com trabalhadores(as) do comércio e a população douradense.

Sobre a proposta de Reforma da Previdência, a vice-presidenta do SIMTED Dourados, Gleice Jane, afirmou que "a proposta de capitalização do governo, nada mais é, do que descontruir, hoje, a previdência que nós temos. E, quando a gente faz as contas, fica claro que corre um sério risco de não ter dinheiro para pagar o salário de quem já está aposentado".

"Estamos na luta também contra os cortes na educação, sobretudo o corte na universidade federal [UFGD}, que representa cortes no Hospital Universitário. A população douradense, a região de Dourados está desprotegida na saúde, porquê o corte atinge diretamente o HU", ainda reiterou a sindicalista.

Canais

Notícias
Artigos
Serviços
Fotos

Expediente

Missão
História
Palavra do Presidente
Estatuto
Filie-se

Siga-Nos

Facebook
Twitter

Rua Maria da Glória, 670
Vila Industrial - Dourados - MS

Tel. (67) 3421-3749